SINDICATO

HISTÓRICO

Relatar o histórico do Sinterg se faz necessário contar a história de lutas dessa categoria que desde sua criação em 1985 tem resistido aos ataques dos governos, que por muitos momentos não priorizou a educação como pauta em suas decisões políticas. Ao rememorar essas lutas percebemos que a história não acontece aos saltos, é um eterno processo entre avanços e retrocessos, e por isso mesmo a necessidade de estarmos constantemente alertas e num movimento de reflexão das nossas ações enquanto categoria e promovendo, sobretudo a conscientização de seus direitos.

A partir de 1985 então, se inicia o histórico dessa categoria, mais precisamente no dia 12 de abril com o objetivo de promover a organização da pauta de reivindicações dos Trabalhadores em Educação do Município do Rio Grande e integrar-se as demais categorias e movimentos sociais, é fundada a Associação dos Professores Municipais (APM). A principal luta dos Professores (APM/SINTERG) sempre foi pelo PLANO DE CARREIRA que garantisse uma valorização justa e digna da categoria. A diretoria da APM era assim composta: Presidente: Ubirajara Peres Rego Junior; Primeiro vice-presidente: Ana Marta Motta; Segundo vice-presidente: Jussélia Barreto; Secretário geral: Celso Luiz R. de Ávila; Primeiro secretário: Cleusa Maria S. Fonseca; Segundo secretário: Silvia Elena S. Gabina; Tesoureiro geral: Maria Marta Mendes; Primeiro Tesoureiro: Sandra Mara S. Silva; Segundo Tesoureiro: Noeli do Carmo K. dos Santos. E em 1985 a categoria conquista a Lei 4010 do Plano de Carreira.

Aos 10 dias do mês de abril de 1989, a então APM em uma assembleia altera sua denominação para Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Rio Grande – SINTERG, com a finalidade de ampliar sua base, representando todos os funcionários e servidores vinculados a secretaria de educação deste município tendo como primeira diretoria: Presidente: Maria Lucia Estima Giacobbo; Vice-presidente: Glauco Vieira; Segundo vice-presidente: Rosangela Greque de Almeida; Secretária geral: Marisa Lopes Teixeira; Primeira secretária: Claudionara Silveira de Carvalho; Segunda secretária: Jussara Carneiro Pereira; Tesoureira geral: Teresinha Maciel Monteiro, Primeira tesoureira: Vera Maria Mendes, Segunda tesoureira: Ana Lopreste Silva. Neste mesmo ano, com o Prefeito em exercício Paulo Vidal, os professores aguerridamente fizeram história neste município e decidiram por uma greve que durou 30 dias tendo como pauta principal a implantação do Plano de Carreira e Eleição de Diretores.

Desde sua fundação a luta por um plano de carreira que valorizasse os trabalhadores em educação nunca parou e em 1999 um novo plano de carreira foi aprovado oferecendo melhorias apenas para os professores de nível I. Em 2007, inicia-se um dos principais movimentos de lutas deste sindicato que foi o PISO SALARIAL PROFISSIONAL NACIONAL, e grandes mobilizações foram realizadas pela sua aplicação. Mas somente em 2010 o piso foi implementado, fruto das incansáveis ações desta categoria.

Por compreender a importância de todos os trabalhadores no processo educativo, em 2013 a categoria aprova em assembleia a minuta do novo plano de carreira e a vinda dos secretários, bibliotecários e motoristas para o novo plano de carreira da categoria. Em junho de 2013 filiam-se no Sinterg, os motoristas, secretários e bibliotecários de escola, ampliando ainda mais o número de sindicalizados e sindicalizadas fortalecendo e unificando a luta da categoria.

Em 2014, o Sinterg participa do 32º congresso da CNTE e sua coordenadora geral, Suzane Barros, é eleita para a direção nacional da entidade, como representante dos municipais, fruto do engajamento nas lutas dos trabalhadores e trabalhadoras em educação de todo o país, que tem o Sinterg como referência nacional.

Neste mesmo ano é realizado um antigo sonho de toda a categoria, adquirindo a primeira sede própria deste sindicato, situada na Rua Andradas 571. Desde sua fundação este sindicato caracteriza-se pelo seu compromisso com a categoria e sempre demonstrou combatividade frente a governos que de alguma forma oferecesse retrocessos, perda de direitos e depreciação da qualidade no trabalho dos educadores. É uma instituição que se caracteriza democrática, de luta e independente do Executivo Municipal tornando dessa forma suas ações legitimas e verdadeiras na defesa da educação municipal.

Atualmente o Sinterg conta com um mil oitocentos e oitenta e quatro trabalhadores e trabalhadoras sindicalizadas que tem a disposição uma assessoria jurídica comprometida integralmente com as pautas da categoria, atendimento de forma individual para sanar as dúvidas quanto aos seus direitos, uma pequena biblioteca, lista de prestadores de serviços e empresas conveniadas e parceiras que oferecem descontos aos sindicalizados.

O sindicato dos trabalhadores em educação está constantemente dialogando com a categoria construindo juntos suas pautas de mobilização e é através do conselheiro ou conselheira da escola que se estabelece um elo entre sindicato e escola; assim, o conselheiro é a escola dentro do sindicato e o sindicato dentro da escola.

Preconizamos sempre a participação de todos os sindicalizados nas mobilizações, para que avancemos em nossas pautas, o sindicato não pode estar sozinho, pois a força vem de todos e não somente da coordenação. Cada trabalhador e trabalhadora em educação precisam estar conscientes de que sua participação é fundamental para tornar possível a valorização da categoria e a concretização de suas reivindicações.